• Instagram - Black Circle

©2018 by The Daily Hawk. Proudly created with Wix.com

student spotlight

it's your time to shine

Volleyball Tournament Recap!

1st Grade Grew their own Plants!

4th Grade Narratives

O que será que tem?

 

Por: Isabel Pereira Melo     

      

          Em uma terra distante, ainda não conhecida na América do Sul, morava uma menina chamada Mainá. A garota era uma indígena da tribo Tupinambá. Ela tinha 9 anos e era o século XV, no ano de 1500. Seu pai era o maior guerreiro da tribo. Os homens na sua tribo lutavam e caçavam,  as mulheres cuidavam da tribo e praticavam agricultura.

         Um dia, Mainá foi à praia, seu lugar favorito. Ela enxergava muito bem, então lá de longe viu umas canoas gigantes que podiam caber quase sua tribo inteira! Também tinha algumas coisas brancas em cima das canoas gigantes que não paravam de balançar. Mainá ficou preocupada, foi correndo para sua tribo e gritou:

  • Socorro! Uma canoa gigante veio nos atacar!

  • Que isso filha, não existe nada do outro lado do mar. 

  • É serio pai. Vem olhar!

Então seu pai e ela foram a praia…

  • Nossa! Você estava certa! Chame os guerreiros e o líder da nossa tribo para ver isso Mainá.

       Já dentro daquelas canoas gigantes chamadas caravelas, tinha um menino chamado Pedro. Pedro era muito curioso e corajoso. Ele foi o primeiro a ver a nova terra e o povo. Então ele subiu em uma cestinha de madeira, que era o lugar mais alto do barco e gritou:  

   - Terra à vista! Terra à vista!

   A nau tentou chegar mais perto dos nativos, mas não foi possível por causa das pedras e dos corais. Pedro viu pessoas muito estranhas, sem roupa, sem pêlo e de pele parda. 

  Mainá também estranhou muito. Mas o menino estranhou mais ainda. Ele também estava muito curioso, então pulou do barco e começou a nadar para a nova terra. Em sua cabeça também pensava: “ O que será que tem?” 

  Quando Pedro chegou à terra, o povo de lá  o estranhou. Ele tentou fazer sinal de paz e falar português de Portugal, mas não deu certo. Os indígenas começaram a se preparar para o ataque. Mas Mainá fez linguagem de sinal, significando “oi”. Pedro a imitou. Mainá falou:

  • Parem! Soltem as armas. Ele é da paz.

  • Falam português? Que legal, eu também! Sou Pedro e vocês?

       Os indígenas falavam português porque o índio mais velho da tribo de 127 anos inventou essa língua. Mas o indio nao sabia que a língua já existia.

  •  Oi! Sou Mainá. Você é daqui de Pindorama?

  • Pindorama? Que isso?

  • É, você não é daqui né.

  • Verdade. Sou de Portugal. Um país lá do outro lado do mar.

          Mainá olhou para o seu pai com uma cara e falou: 

  • Não tem nada lá do outro lado do mar né pai?

  • É...eu achava que não tinha nada…

  • Mas esquece, vem Pedro deixa eu te mostrar aqui.

Mainá mostrou tudo, sua tribo, sua oca, seus amigos,

o cacique, a sua mãe, seu irmão, lhe ensinou os nomes das árvores....Ela mostrou tudo! Mas o que mais chamou a atenção do garoto foi uma árvore chamada pau-brasil.

  • Que árvore magnífica! Ela é vermelha! Nunca vi uma igual!

  • Então Pedro, você vai morar aqui?

  • Não. Tenho que voltar a Portugal. Me desculpa.

  • Mas você vai voltar para lá agora?

  • Não. Mas tenho que voltar para a  caravela. Quer ir comigo até lá Mainá?

  • Cla-

  • Não. De jeito nenhum Mainá. Lá é perigoso.

  • Olha senhor, se quiser pode ir também.- Ofereceu Pedro

  • Tá bom então.

Lá na caravela foi super legal. Eles comeram 

comidas estranhas e gostosas, fizeram amigos e ganharam muitos presentes. Mas já estava tarde, então o menino tinha que ir embora. Eles se despediram com muita tristeza, mas  Pedro prometeu que um dia iria voltar.